Dois poemas de Sarah Israel

todos os dias se tornaram domingo ninguém mais fala contigo não há doutor para te ver agora e por mais que quiseste ficar tu já foste embora