Dois poemas de Sarah Israel

todos os dias se tornaram domingo ninguém mais fala contigo não há doutor para te ver agora e por mais que quiseste ficar tu já foste embora

Documento sem nome – poesia

a segunda vez quem fez fui eu/a primeira também,/na segunda vez um frio no quadril/nas mãos/se no frio dói mais

Três poemas de Mika Andrade

tenho predileção por poemas/que atravessam a paisagem/o quintal na casa da minha avó/era um poema todo escrito de melancolia (...)