Três microcontos de Pollyana Lima


Jeffrey Czum ©


A estrutura da casa era boa, aparentemente acolhedora. Talvez, um olhar menos aguçado jamais perceberia que aquela habitação fora edificada pelo vazio. Havia ali uma moradora que se sentia dentro de um trem sempre pronto para partir.


*



Tem sentimento que chega como uma locomotiva desenfreada. Então, vem o medo da decepção. A locomotiva vai perdendo a velocidade, freando, freando, até parar. E, enquanto o fogo da caldeira se apaga, ela permanece parada nos trilhos de metal.


*


Ponto G


Embriagada, desnuda, solta na cama, mais parecia um pássaro prestes a levantar voo, arrebatada, domada, dopada. As mãos deslizantes percorriam todo o corpo, sentia-se, queria-se. Poderosa, fatal, independente.

Fulminante, o gozo percorria as entranhas da carne.





_ Pollyana Lima é Mestre em Estudos Literários pela Universidade Estadual de Feira de Santana — UEFS. Autora das obras: Coisa de adolescente (romance) — Biblioteca 24x7 (2009), A outra face (romance) — Editora Baraúna (2010), Enlace & Desenlaces (contos) — All Print Editora (2013). Possui textos publicados nas antologias Revelações literárias (2012) — Editora EDUNEB, Tudo no mínimo: Antologia do miniconto na Bahia — Editora Mondrongo (2018).

Conte outra!? (2019) — PerSe, Antologia Conto Brasil (2019) — Trevo.