Três poemas de Úrsula Antunes

Atualizado: Abr 20


© Cecile Perra

morada


Entro nessa casa

mil vezes

já morei aqui

a minha pele lembra de cada espaço

o sofá no canto deste cômodo

a mesa de jantar de frente para a cozinha

tropeço em meus próprios passos

porque você saiu daqui

o quarto azul, o armário branco por que você foi embora?

um vazio perene

por que eu fui embora?

eu morava aqui

como se tivesse nascido entre

essas paredes

o elevador confuso de duas portas

morei aqui mil vezes

e em todas

precisei sair

não pertencia a este

apartamento

me sentia parte

daquilo que nunca teria

morei aqui mil vezes

meus pés chegam ao saguão sozinhos

atravessam o cruzamento

olho aquelas janelas

porque você foi embora

procuro aquelas janelas

porque preciso ir embora

também.

partida

o caminho pra casa

é longo

o caminho de agora

parece engessado

estou presa

estou sufocando.

é longe e meus braços pesam

pesa o corpo

o mundo pesa

às minhas costas

há uma linha de imigrantes

junto comigo

fugindo do agora.

fugiremos, então

e as pernas doem

fugiremos, então

e a voz falha

vamos quebrar

mas o espírito foi antes

vamos fugir

e que sigamos convulsionando.

a casa eu não vejo

o caminho está grudado na sola dos pés

o ocaso atrai para a linha

o descaso retrai para a chegada.

não sinto mais

o caminho

a casa

o que ainda está dentro

se partiu

já não sei mais caminhar.

superfície


sou móvel

ou imóvel?

toda essa superfície parece tão instigante

quanto dela

está disposto a explorar?

metros de pele

de vulcões

pedregulhos

córregos e montanhas

talvez

possa ser também

metros e metros

de concreto

concerto

de LED em fios

eletricidade e artifício

vagões e mais vagões

lutando para se manterem nos trilhos

no fim

no começo

o que você vê é

taco e porcelanato

gesso e tinta descascada

uma porta que se abre para

a cidade que se descortina da sacada

olha pra fora esperando os amigos

quer mostrar os adornos da sala nova

o novo lustre é aquele brinco pesado

que ganhei de aniversário.


_

Úrsula Antunes, formada em Letras, ex-medievalista, professora e revisora, escreve ficção em prosa, tendo publicado em algumas antologias e um livro solo, Queda livre e outros contos (2014). Atualmente se dedica à escrita de poesia e aos estudos de edição.

54 visualizações