• Bárbara Rachel

Dois poemas de Bárbara Rachel


© Unsplash

Condenada


Silêncio

O único som além do cano da armas

De maafa

A atravessar

Nossos corpos

Pretos

Ilógicos

Ameaçamos você?

Você vai correr ou

Pedirá pra ver

Meu IB

É mais leve do que você

Diante de Maat, sou salva

Será que mesmo com teu preconceito

Jesus salva você?

De (i) solada em mim

Sobrevivência

Alma atravessada pelo silenciamento

Na dor

Uma pausa

A ressaca da solidão

Depressão

Uma Live

Alucinação de felicidade

Overdose de endorfina

O cheiro do bolo

É de cenoura

Banho quente, que horas são?

Ah, mais um dia

Começou...

Mas já são meio-dia

Sobrevivência...


_

Bárbara Rachel é professora antirracista e organizadora do Ciclo de Debates Se(m)medo Literaturas, Artes e Filosofias: um olhar para a docência afrocentrada, em parceria com a Faculdade de Letras da URFJ.

71 visualizações