ATENÇÃO: Temos observado que envios para os estados do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul são os mais sujeitos a atrasos pela defasagem de pessoal dos Correios em virtude da pandemia de covid-19. Para entregas pelas modalidades PAC ou Sedex, que costumam ser mais rápidas, entre em contato conosco pelo direct do Instagram (@macabeaedicoes) ou por e-mail (macabea@macabeaedicoes.com). A diferença no valor do frete pode ser acertada mesmo após possível compra no site com entrega por impresso módico. Pra que roam os cães nessa hecatombe, novo livro de Manuella Bezerra de Melo, conta com reproduções de telas de Camilla Freitas (série Remendar-se, 2018), posfácio de Ana Luísa Amaral, quarta capa de Micheliny Verunschk e orelha de Susana Fuentes. Os compradores ainda recebem, de presente, a plaquete Sal, com outros quatro poemas inéditos de Manu Bezerra. A capa é de Caroline Silva sobre a tela "Remendar", de Camilla Freitas. "Pra que roam os cães nessa hecatombe me trouxe a memória de Susan Sontag, retratada por Annie Leibovitz entre escombros em Sarajevo. Sontag – que encenaria Esperando Godot, de Samuel Beckett, em um abrigo em plena Guerra da Bósnia – marcou sua posição diante de um tempo de ruína. Evoco-a por perceber uma energia irmã daquela nos poemas que compõem este livro de Manuella Bezerra de Melo, uma indignação que, em alta voltagem, se torna combustível para a arte em sua melhor forma." Micheliny Verunschk "A voz de Manuella Bezerra de Melo traz coragem, faíscas, ruídos, um novo timbre. [...] Aprendemos seus gestos e respiramos sua liberdade, que transborda sem buscar abrigo." Susana Fuentes "Sempre a poesia escrita por mulheres se situou num polo de outridade, ainda que se diga, hoje, nestes tempos neoliberais em que as liberdades e os direitos sociais estão perigosamente em risco de se perderem, que a igualdade de género foi já atingida. Diz-se, ainda, ser desnecessário às mulheres lutar por 'um quarto que seja seu'. E até se vilipendia a ideia de reivindicação de dignidade de vida tal como se vilipendiam, ofendem e agridem as reivindicações por uma digna multiplicidade nas formas de viver e de amar. Por isso se me afigura tão importante neste livro a desassombrada assunção de uma voz de mulher, de um corpo de mulher, de imagens de mulher – produzidas por mulheres." Ana Luísa Amaral _Sobre a autora:Manuella Bezerra de Melo é escritora e mestra em Teoria da Literatura e Literaturas Lusófonas. Pra que roam os cães nessa hecatombe é seu quarto livro, precedido por Pés pequenos pra tanto corpo (Urutau, 2019). Publicou também poemas e contos em revistas brasileiras, portuguesas e latino-americanas. Atualmente, é doutoranda em Modernidades Comparadas: Literaturas, Artes e Cultura, na Universidade do Minho, em Portugal.

Pra que roam os cães nessa hecatombe + Sal

REF: 05
R$ 36,00 Preço normal
R$ 28,80Preço promocional
  • Manuella Bezerra de Melo